); ga('send', 'pageview');

Reinar depois de morrer é a nova estreia da CTA

Reinar depois de morrer, de Luis Vélez de Guevara, pela CTA

Texto do “Século de Ouro” é escrito por Luis Vélez de Guevara e encenado por Ignacio García, director do Festival Internacional de Teatro Clásico de Almagro, Espanha

José Neves e Margarida Vila-Nova são Pedro e Inês em Reinar depois de morrer, a nova estreia da Companhia de Teatro de Almada. Trata-se de um texto do “Século de Ouro” espanhol, escrito por Luis Vélez de Guevara. A encenação é de Ignacio García director do Festival Internacional de Teatro Clássico de Almagro, Espanha. Do elenco fazem também parte os actores João Lagarto, Ana Cris, David Pereira Bastos, Leonor Alecrim, Maria Frade e Pedro Walter.

O espectáculo fica em cena de 25 de Outubro a 17 de Novembro, de quinta a sábado, às 21h, quartas e domingos, às 16h.

As habituais Conversas com o Público, onde vários especialistas debaterão os temas levantados pelo espectáculo, têm lugar aos sábados, dias, 26 de Outubro, e 2, 9 e 16 de Novembro, às 18h, no Foyer do Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada.

reinar-depois-de-morrer-mostra-espanha-almada-2019
O dramaturgo espanhol Luis Vélez de Guevara (1579-1644) terá composto mais de 400 peças. Este texto, de 1635, é considerado um dos seus melhores trabalhos. Com tonalidades intensamente líricas, põe em cena a mais trágica e lendária história de amor de Portugal: a de D. Pedro e D. Inês de Castro, à qual se opôs a razão de Estado (a que hoje poderíamos chamar uma razão politicamente correcta).

Publicada em Portugal pela primeira vez em 1652, no âmbito de uma colecção intitulada (em castelhano, note-se) Comedias de los mejores y más insignes poetas de España, a peça evoca uma história de contornos inéditos e irrepetidos. O espectáculo centra-se nos dilemas e sofrimentos interiores e nos comportamentos que as quatro personagens principais revelam, convocando o público para pensar sobre o tema sempiterno que é o da supremacia das conveniências sobre o indivíduo – sempre mais frágil – que as questiona.

José Gabriel López Antuñano (n. 1949), professor de Dramaturgia e Ciências Teatrais e autor de obras de pensamento sobre teatro, já realizou várias adaptações de textos dramáticos, entre os quais Enrique VIII y la Cisma de Inglaterra, de Calderón de la Barca, ou A história do cerco de Lisboa, de José Saramago, estreada no Festival de Almada em 2017.

 

Ficha Artística e Técnica

Texto de Luis Vélez de Guevara

Tradução Nuno Júdice

Encenação de Ignacio García

Adaptação José Gabriel Antuñano

Intérpretes Ana Cris, David Pereira Bastos, João Lagarto, José Neves*, Leonor Alecrim, Margarida Vila-Nova, Maria Frade e Pedro Walter

Cenografia José Manuel Castanheira
Figurinos Ana Paula Rocha
Desenho de luz Guilherme Frazão

Assistente de figurinos Carolina Furtado

Jóias Sílvia Teles

* Actor gentilmente cedido pelo Teatro Nacional D. Maria II

Companhia de Teatro de Almada em co-produção com a Compañia Nacional de Teatro Clásico

Reinar depois de morrer está inserido na Mostra Espanha 2019





TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/12

(De 25 de Outubro a 17 de Novembro)

QUI a SÁB | 21H

QUA e DOM | 16H

PREÇO: 6,5€ a 13€ (Clube de Amigos: entrada livre)